Embu das Artes, quase um paraíso

Já faz mais de dois anos que moro em São Paulo e, por incrível que pareça, ainda não conhecia Embu das Artes. Eu só tinha boas referências de lá, de meus amigos e amigas que se diziam apaixonados pelo lugar e por tudo que ele oferece. Toda vez que íamos para a Benedito Calixto, eu ouvia (principalmente do meu namorado): “Tu tens que conhecer Embu. Tu vais amar”.

Bom, domingo foi o dia que eu comprovei toda essa teoria. Eles realmente estavam muito certos. A Feirinha de Arte e Artesanato de Embu é algo simplesmente encantador, tanto para quem quer mobiliar a casa, quanto para quem quer abrir a cabeça para coisas lindas dessa vida.

A feira acontece nas principais ruas do Centro Histórico da cidade há mais de trinta anos, aos sábados e domingos. São mais de 400 expositores. Enquanto caminhava pelas ruazinhas, o meu olhar foi dividindo a atenção entre lojas de artesanato (que são na maioria de madeira, gigantes, com cheiro de infância no interior), galerias, antiquários, flores, plantas, móveis rústicos, cafés, bandas de rock, sambista cantando Seu Jorge, grupo de reggae, bolivianos flautistas, vinis, mesa de doces e por aí vai. Fora isso, tem um coreto lindo no meio da praça, que me fez sentir dentro de um livro do Érico Verissimo. Uma overdose de manifestações artísticas e culturais que enchem nossos olhos e o coração de coisa boa.

É preciso paciência porque o fluxo de pessoas é grande. É preciso também de tempo para olhar tudo o que tem por lá.

Sobre preços: há de tudo, para todos os bolsos. As lojas de móveis rústicos são maravilhosas, mas um tanto quanto caras. Para quem está buscando novidades para a casa, é um prato cheio, mas tem que garimpar e pechinchar. Tem tudo o que vocês podem imaginar, tanto nas barracas quanto nas lojas (que geralmente são mais caras que os expositores de rua). Achei uma lojinha de tapetes com um preço incrível que vende mantas para sofá por R$25. Sim, R$25.

Apenas uma ressalva: lá tem uma Feira de Comércio de Animais. Foi a única coisa que não gostei no lugar. Até entrei pra dar uma olhada, mas repunei logo depois. Os animais são vendidos como mercadoria, ficam em jaulas minúsculas e, sinceramente, a maioria dos “vendedores” não tinham jeito de que levam os bichinhos a sério. Inclusive, já enviei um e-mail para a Prefeitura da cidade reclamando porque achei realmente um absurdo.

Mas enfim, fora isso, vale muito a pena. Faz o seguinte: convida os amigos, pega o carro e vai conferir (e depois manda e-mail pra Prefeitura reclamando da Feirinha de Animais também :)). E enquanto você não vai, dá uma olhadinha nas coisas bacanas que te espera por lá:

Só faltou dizer o que eu comprei por lá, né?

foto

Anúncios