Das boas tentações: a Feirinha Gastronômica

São Paulo está cheia de iniciativas maravilhosas. Eu moro aqui há quase três anos e tenho uma lista particular repleta de lugares e eventos para conhecer. Ainda não conheci a metade, mas ontem, dei check em uma delas: a Feirinha Gastronômica da Benedito Calixto. Aos domingos, o Espaço Qualquer Coisa recebe mais de 30 barracas com braços abertos para os apaixonados pela boa gastronomia. São chefs, estudantes de gastronomia e donos de pequenas empresas com cardápios capazes de atender a todos os gostos.

No meu debut, cheguei um pouquinho antes do meio-dia para evitar fila. E aí, minhas amigas, foi difícil controlar os olhos. São muitas opções, tanto que não consegui chegar nem perto de provar um pouquinho de tudo. Ou seja, mais visitas terão de ser feitas.

Eu e meu namorado fomos revezando, cada um experimentando um pouquinho do que o outro comprava. Do que provamos:
– Macaron de frutas vermelhas, da D’Macarons. (Amei!)
– Waffle com carne selecionada e refogada com temperos e queijo derretido, do francês Olivier. (Muito bom!)
– Hot Dog à francesa na baguette, do pessoal do Cozinha Bossa Nova. (NHAC!)
– Hamburger de Fraldinha Angus Prime com creme de queijos e vinho branco no pão especial, do Chef Luis Jucá. (O melhor, na opinião do namorido).
– Brigadeiro de massa branca com kiwi, da Rir Brigaderia. (Bem gostoso!)
– Suco Tropical com Manjericão. (Delícia)
– Bolinho de risoto, pena que não lembro o nome da banca. (Ma-ra-vi-lho-so!)
– Musse de jabuticaba, ganache de chocolate com limão e bolo de machá, do Lucas Corazza. (Diferente!)
– Picolé de melancia com detox, do Me Gusta (Muito bom!)
– Tapioca de carne seca com queijo, da primeira banca (NHAM!)

Sobre o preço: dependendo da banca, pode ser um pouco salgadinho, sim. Mas acredito que seja uma experiência bem bacana e diferente, que vale um esforcinho. Além de toda a comilança, você tem a oportunidade de conhecer um povo bem bacana. As pessoas geralmente saem do espaço e sentam na praça para comer o que vem em prato. E daí podem surgir papos bacanas, como o que eu tive com a Cátia. Ela estava com a sua salsicinha, a Kiti. Mas papo vai, papo vem, ela me contou que ainda tem duas pitons, duas tarântulas e um casal de chinchilas em casa. Ela falou ainda que conhece o Rio Grande do Sul e a conversa se estendeu por quase meia hora.

Resumindo: mora em SP ou vem fazer uma visita para alguém daqui? Corre lá! 🙂
Alguém aqui já foi? Conta um pouquinho pra mim aqui nos comentários!

Anúncios