A sala é o lugar onde a gente passa um tempo bem considerável das nossas vidas. Nela a gente recebe os amigos, a família, passa horas assistindo TV, comendo pipoca e por aí vai. Nada mais justo que esse seja um dos primeiros ambientes da casa que a gente pense em deixar agradável e bonito, certo? E é nesse ponto que entra em cena os papéis de parede.

Diferente de usar demãos de tinta, eles são o ápice da personalização. E, apesar de terem marcado presença na maioria das casas de fora do país há umas décadas, a tecnologia, as novas texturas e a praticidade desse material fizeram com que nós brasileiros começássemos a valorizá-lo dentro de nossas casas. Hoje, são vistos como opções versáteis para todos os tipos de decoração.

Já que estamos falando de sala de estar, olha só alguns exemplos de como o papel de parede pode dar um up especial e mudar radicalmente o espaço com pouco esforço:

Avelina-A_106451_2000x700

Almeda-B_461682_2000x700

killa_410311-a_2000x700

osiris_461012_b_2000x700

Eu, particularmente, nunca pensei em colocar um papel de parede aqui na sala de casa. Até que fui apresentada à Papel de Parede dos Anos 70 e, sério, fiquei completamente doida com as opções lindas que eles oferecem.

A loja virtual deles é um banho de inspiração. É super didática, mostra ambientes com cada estampa pra que a gente visualize bem se vai combinar com o que temos em casa e tem vários filtros que nos ajudam a escolher os melhores papéis para a proposta que queremos. “Ah, Giovanna, mas como vou saber quantos rolos eu preciso comprar para cobrir toda a minha parede?”. Calma, no site tem uma calculadora que nos ajuda a saber isso direitinho.

As estampas (ah, as estampas!) variam de acordo com o clima que você quer: florais, românticos, geométricos, barroco, listrado, infantil e por aí vai. Todos maravilhosos. Esses aqui do post, por exemplo, são todos de lá. O mais fofo é que, em caso de dúvida (afinal, são tantas as opções), eles enviam uma amostra pra gente. Aí você pode conferir o material, a textura e bater o martelo na sua decisão.

Agora me digam: tenho ou não tenho razão por querer todos por toda a casa? 🙂

publi

Posted by:Giovanna Delfini

Jornalista, gaúcha, gremista, curiosa, teimosa, exagerada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s