Como criar uma horta orgânica em plena cidade

Saber a procedência dos alimentos que consumimos é apenas um dos itens que nem sempre temos controle no dia-a-dia. A gente confia naquilo que compra, mas no fundo, acaba ficando com uma pulga atrás da orelha – porque sim, diante de tanto escândalo por aí, é natural que se pense dessa forma. Aqui em Porto Alegre, por exemplo, há pouco a Zero Hora descobriu que o Ceasa vendia alimentos com agrotóxicos proibidos, inadequados ou acima do permitido. Uma revelação que empoderou bastante a galera que sempre pensou em produzir e consumir – pelo menos – uma parte das frutas, verduras e legumes da sua alimentação.

Confesso que, se morasse em uma casa com pátio, teria uma horta gigantesca. Eu amo essa coisa de produzir, de cuidar com carinho das coisas que fazem bem pra minha família. Mas como moro em apartamento, super me contento com o meu canteirinho com alguns tipos de temperos. Pelo menos, ali tenho a certeza que não tô ingerindo nada que não seja bom.

Mas caso você tenha ou conheça alguém com um espaço bom para compartilhar uma horta orgânica, por que não fazê-la? Pesquisando na internet, encontrei uma cartilha do Instituto Pólis, que mostra certinho cada passo do planejamento e criação de uma horta orgânica em plena cidade. É realmente um bê-a-bá: tem dicas pra escolher as espécies, de aproveitamento integral dos alimentos, de como fazer o próprio biofertilizante. Uma aula de alimentação saudável e sustentável.

Dá uma olhadinha, vai que brilhe o seu olhinho, assim como brilhou o meu?! ❤
Clique aqui para ler e baixar a cartilha com todos os passos bem esmiuçadinhos.

Anúncios