Os cobogós são um verdadeiro charme, isso é inegável. Uma releitura dos muxarabis, elementos de madeira treliçados presentes nas janelas das construções árabes, eles foram criados no nordeste brasileiro pelo comerciante português Amadeu Oliveira Coimbra, o alemão Ernst Boeckmann e pelo engenheiro pernambucano Amadeu Góes. O nome cobogó vem das sílabas iniciais dos sobrenomes de cada um deles.

muxarabi-alhambra
O muxarabi, que inspirou a criação dos cobogós

Mesmo patenteados na década de 1930, foi na década de 1950 que os cobogós começaram a ser amplamente utilizados nas fachadas das edificações, pré-fabricado, em concreto ou cerâmica. De acordo com o arquiteto Werner Drevnovicz, criador, junto com a arquiteta Jerusa Mattos, da Design DOit, a função do cobogó é basicamente fazer uma vedação similar às das paredes ou janelas.

– Por serem elementos vazados, eles permitem a ventilação e iluminação, contribuindo no conforto térmico, dando mais privacidade aos espaços que eles dividem.

Em quais casos podemos usar o cobogó?

Werner explica que, apesar da utilização original ser em fachadas de edificações, os cobogós posteriormente passaram a ser utilizados no interior das casas, como divisória de ambientes.

— Enquanto elementos externos, em fachadas, são mais apropriados aos climas secos e quentes, porque permitem que ventile o interior da edificação. Em climas mais frios e úmidos devem ser utilizados com mais cautela, porque irão permitir a entrada de chuva e frio, dependendo da aplicação. Contudo, podem fazer as vezes de um brise soleil, que faz uma quebra na entrada direta do sol, dependo da orientação solar da fachada. Ficam bem também em muros, muretas e pátios (como suporte para painéis vivos).

COBOGÓS ALGUNS PADRÕES

Mas, e no interior das casas? Jerusa afirma que o cobogó pode ter a função de separar cômodos de forma mais orgânica, natural e charmosa.

— As áreas mais comuns para o uso são as de serviço (onde permite esconder os varais de roupas e ainda ventilar o ambiente), cozinhas, banheiros, quartos e halls de circulação. Funcionam como aquele charme a mais nas varandas e sacadas também.

Como escolher o cobogó ideal para a casa?

Os cobogós podem ser encontrados em diversos padrões e materiais, o que permite incorporá-los na sua casa, independente do estilo dela. Werner explica que tudo depende do contexto em que eles serão aplicados.

— Temos no mercado elementos de cerâmica esmaltada, em madeira, tipo treliça, de concreto e metal, todos com ou sem pintura. Os padrões são variados, podem geométricos, linhas puras, padrões florais, etc. Pela grande variedade de padrões e materiais, alguns modelos são mais adequados ao estilo de cada ambiente. Ambientes rústicos, podem ser em madeira, modernos em concreto, ambientes mais “refinados”, podem ganhar versões em cerâmica esmaltada ou madeira pintada.

Em uma busca rapidona nos e-commerces, encontrei alguns modelos superlegais:


Dá pra brilhar o olho, né?

Posted by:Giovanna Delfini

Jornalista, gaúcha, gremista, curiosa, teimosa, exagerada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s